Bom para cachorro

25/03/2018 - Notícias do Grupo

Eles fazem parte da família brasileira. Segundo o IBGE, 44,3% dos lares no país têm, pelo menos, um cachorro - são mais de 52 milhões de cães. Há, ainda, aproximadamente 22 milhões de gatos. Faz sentido que as construtoras criem espaços especiais para os melhores amigos do homem. A última onda das incorporadoras é oferecer "pet places" nos lançamentos. A Tegra, por exemplo, criou espaços para treinamento e cuidados dos animais em seus dois lançamentos. O Soho residencial, na Barra, terá um local para banho e tosa. Já no residencial Stories, em Jacarepaguá, os bichos vão dispor de brinquedos para a recreação ao ar livre.

- Decidimos incluir estas áreas nos projetos porque pesquisas de mercado indicaram que cada vez mais pessoas têm animais de estimação. Também percebemos uma demanda de clientes que, durante nossas pesquisas de desenvolvimento, indicaram que seria importante ter um espaço exclusivo para os bichos - explica Marco Adnet, diretor executivo da Tegra Incorporadora.

A Direcional Engenharia também entrou na moda e o Reserva Natura Camorim terá áreas para os animais. Lançamentos da Cury, o Completo Jacarepaguá II e o Dez Portal, em Belford Roxo, procuraram agradar não apenas os futuros moradores, mas também os seus bichinhos. As unidades oferecem o Espaço Pet, uma área para os bichos se exercitarem.

Área prevista na convenção

Por serem espaços recentes, é importante saber que esses espaços dedicados aos animais devem constar na convenção do condomínio. Segundo a advogada Bianca Cukier, da Cukier & Cukier Advogados Associados, o documento deve ter cláusulas que regem, por exemplo, como o local deve ser utilizado e quem deverá administrar (condomínio ou terceiros).

Segunda ela, proprietários que não pretendem usar a área precisam ratear a luz e água utilizados para o tratamento dos bichos do mesmo jeito que os usuários.

- Vale desde que conste na convenção do condomínio uma cláusula que faça menção da existência do espaço reservado aos animais domésticos e não havendo nenhuma ressalva com relação ao rateio da água proporcional aos donos dos animais que utilizam.

É importante lembrar ainda que nenhuma convenção, síndico ou proprietário pode proibir a permanência ou entrada de cachorros em apartamento ou casa.

- Isso faz parte do seu direito de propriedade. Mesmo que as regras do condomínio proíbam de alguma maneira

a presença de cães, elas não podem ir contra e não são maiores do que a Constituição Federal ou o Código Civil, pois a Constituição Federal assegura o cidadão ao direito de propriedade, ou seja, o condômino pode manter animais em casa ou apartamento, contanto que a permanência deles não atrapalhe ou ponha em risco a vida de outros moradores.

Valor maior de revenda

Márcio Cardoso, presidente da Sawala Imobiliária, explica que o preço do imóvel independe de o condomínio ter ou não espaços para cachorros.

- Porém, no momento da revenda, uma área dedicada aos bichos de estimação pode ser, sim, uma vantagem para o proprietário e fazer diferença na hora do negócio - considera ele.

No Recreio, o residencial Maui Unique Life Residences, da Calçada, terá duas áreas para bichinhos de estimação: um play dog (com rampas, obstáculos e túneis) e pet care, onde os moradores poderão dar banho em seus animais.

/ fonte: Imóveis - Extra
loading...
carregando